braziliandiploma.us

Baixe Agora!

O CACADOR DE PIPAS EPUB BAIXAR


O caçador de pipas é considerado um dos maiores sucessos da literatura mundial dos últimos tempos. Este romance conta a história da amizade de Amir e. O Caçador De Pipas - documento [*.epub] Khaled Hosseini O cacador de pipas Romance TRADUCAO DE MARIA HELENA ROUANET Este. O caçador de pipas narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de

Nome: o cacador de pipas epub
Formato:ZIP-Arquivar
Sistemas operacionais: iOS. Windows XP/7/10. MacOS. Android.
Licença:Somente uso pessoal
Tamanho do arquivo:61.54 MB

Dança Com Lobos — Michael Blake. Coraline - Neil Gaiman. Eu quero tudo! Os Anjos de Badaro — Mario Prata. Espumas Flutuantes - Castro Alves. Martin Martin H Greenberg. Fui me esgueirando até a entrada. Um sorriso tímido. Jose Saramago — História do cerco de Lisboa. Como ousa criticar você? Filhos brilhantes, alunos fascinantes — Augusto Cury. Ele esfregou os olhos, sonolento, e se espreguiçou. A batalha do apocalipse - Eduardo Eduardo Spohr. Adorava o inverno em Cabul. Brevida - Juliana Amato. Querido E Devotado Dexter.

O Caçador De Pipas - documento [*.epub] Khaled Hosseini O cacador de pipas Romance TRADUCAO DE MARIA HELENA ROUANET Este. O caçador de pipas narra a tocante história da amizade entre Amir e Hassan, dois meninos que vivem no Afeganistão da década de Baixar Livro O Caçador de Pipas. “Uma narrativa insólita e eloqüente sobre a frágil relação entre pais e filhos, entre os seres humanos e seus. Alguém tem o livro O Caçador de Pipas de Khaled Hosseini em PDF. Show trimmed Link para baixar braziliandiploma.us pipas-khaled-hosseini-em-epub-mobi-e-pdf/. Show trimmed. Compre O CACADOR DE PIPAS, do(a) KOBO EDITIONS. Confira as melhores ofertas de Livros, Games, TVs, Smartphones e muito mais.

O Principe — Maquiavel. O Príncipe — Nicolau Maquiavel. O Rei das Estrelas — Edmond Hamilton. O Retorno do Rei — J. O Segredo — Rhonda Byrne. O Segredo da Libelula — Scott Blum. O Segredo do Mago — Joseph Delaney. O Senhor das Moscas — William Golding. O Sepulcro — Kate Mosse. O Silêncio dos Inocentes — Thomas Harris.

O Silmarillion — J. O Símblo Perdido — Dan Brown. O Simbolo Perdido [Dan Brown]. O Ultimo Olimpiano — Rick Riordan. O Verao de Katya — Trevianian. O X da questao — Eike Batista. Obscura — Dark Gero. Ocidentais — Machado de Assis.

Olhos Negros — Carlos Rocha. Ondas e Outros Poemas — Euclides da Cunha. Onze Minutos — Paulo Coelho. Opusculo — Harvard Lampoon. Opusculo — The Harvard Lampoon. Orgulho e Preconceito. Os Astronautas de Yaveh — J. Os Dragoes do Eden — Carl Sagan. Os Filhos de Hurin — J. Os Quatro Grandes — Agatha Christie.

Os Reis de Clonmel — John Flanagan. Os segredos da mente milionaria — Joao Augusto Rodrigues. Os Tres Mosqueteiros — Alexandre Dumas. Paginas Recolhidas — Machado de Assis.

Papeis Avulsos — Machado de Assis. Pensamentos — Blaise Pascal. Piramide — Tom Martin. Planeta Duplo — Jack Vance. Poeira de Estrelas — Isaac Asimov. Poirot Perde uma Cliente — Agatha Christie.

Ponte em Chamas — John Flanagan. Ponte para Terabitia — Katherine Paterson. Ponto de Impacto — Dan Brown. Praticamente Inofensiva — Douglas Adams. Psicologia e Informatica — Rosa Maria Farah. Publicacoes pre-Psicanaliticas e Esbocos — Freud Sigmund. Pulp — Charles Bukowski. Quando Deus sussurra o seu nome — Max Lucado. Quando ela se foi — Harlan Coben.

Quando Nietzsche Chorou — Irvim D. Quando os anjos silenciaram — Max Lucado. Querido Dexter — Jeff Lindsay. Querido E Devotado Dexter. Querido John — Nicholas Sparks. Quincas Borba — Machado de Assis. Rainha dos Condenados — Vol. I — Anne Rice. Rangers — Ponte em Chamas- John Flanagan. Rangers — Ruinas de Gorlan — John Flanagan. Rei Lear — William Shakespeare. Reliquias de Casa Velha — Machado de Assis.

Resgate de Erak — John Flanagan. Reuniao — Meg Cabot. Riqueza das Nacoes — Adam Smith. Romeu e Julieta. Rota 66 — Caco Barcellos. Ruinas de Gorlan — John Flanagan. Sangue Quente — Isaac Marion. Seguindo a Correnteza — Agatha Christie. Sepulcro — Kate Mosse. Sobre a brevidade da vida — Seneca. Sobre Meninos e Lobos — Dennis Lehane. Solar — Ian Mcewan. Sombras do imperio — J. Somos Todos Inocentes — Zibia Gasparetto.

Stonehenge — Bernard Cornwell. Sussuro — Hush, hush — Becca Fitzpatrick. Sussurro — Becca Fitzpatrick. Terra — Barbara Marciniak.

Terra das Sombras — Meg Cabot. Terra do Gelo — John Flanagan. Textos nada escolhidos — Luis Fernando Verissimo. The Last Watch — Sergei Lukyanenko. The Twilight Watch — Sergei Lukyanenko. Tormenta de Espadas Parte 1 — George R. Trilogia da Fundacao — Isaac Asimov.

Tua Ate o Amanhecer — Teresa Medeiros. Ulceracao — Richelle Mead. Um Gato entre os Pombos — Agatha Christie. Um Momento Inesquecivel — Nicholas Sparks.

Uma Dose Mortal — Agatha Christie. Vai sonhando — Cecily Von Ziegesar. Varias Historias — Machado de Assis. Veronika Decide Morrer — Paulo Coelho. Viabilizando Talentos — J. Viagem ao Centro da Terra — Julio Verne. Vida Depois da Vida — Dr. Walden ou A Vida nos Bosques — henry D.

DE BAIXAR CACADOR EPUB O PIPAS

Thoreau — Cópia. Zorro — O comeco da lenda — Isabel Allende. A Hora da Estrela — Clarice Lispector. Agosto — Rubem Fonseca. As Melhores Historias da Mitologia — A. Besame Mucho — Mario Prata. Caim — Jose Saramago. Cem anos de solidao — Gabriel Garcia Marquez. Crime e Castigo — Fiodor Dostoievski. Ensaio Sobre a Cegueira — Jose Saramago. Eu falo o que elas querem ouvir — Mario Prata. Fiodor Dostoievski, Crime e Castigo, Labirinto — Kate Moss.

Lobo das Estepes — Hermann Hesse. Memoria de minhas putas tristes — Gabriel Garcia Marquez. Misto Quente — Charles Bukowski. Mulheres — Charles Bukowski. O Afogado do Tamisa — Anne Perry. O Buraco na Parede — Rubem Fonseca. O Capital — Volume 1 — Karl Marx. O Capital — Volume 2 — Karl Marx. O Cobrador — Rubem Fonseca. O Codex — Jose Rodrigues dos Santos. O Idiota — Fiodor Dostoievski. O Processo — Franz Kafka.

O Ultimo Chefao — Mario Puzo. Omerta — Mario Puzo. Os Anjos de Badaro — Mario Prata. Os homens que nao amavam as mulheres — Stieg Larsson. Os Sete — Andre Vianco. Pantaleao e as Visitadoras — Mario Vargas Llosa. Romance Negro — Rubem Fonseca. Sexo na cabeca — Luis Fernando Verissimo. Sidarta — Hermann Hesse. Tormenta de Espadas — George R. Martin []. Uma Criatura Docil — Fiodor Dostoievski.

Viagem ao Centro da Terra — Julio Verne 1. A Alma — Voltaire. A Ausência — Agatha Christie. A batalha do apocalipse — Eduardo Eduardo Spohr. A Carga — Agatha Christie. A Condessa Vésper — Aluísio Azevedo. A Filha — Agatha Christie. A Mao Esquerda de Deus. A Mortalha de Alzira — Aluísio Azevedo. A Origem da Tragédia — Friedrich Nietzsche. A Política — Aristóteles. A Psicologia da Mentira. A Viagem do Elefante — Jose Saramago.

Agatha Christie — Assassinato no Expresso do Oriente. Agatha Christie — O Misterioso Sr. Agatha Christie — O Natal de Poirot. Agatha Christie — Poirot Perde uma Cliente.

Agatha Christie — Uma Dose Mortal-rev. Aldous Huxley — A Filosofia Perene. Aldous Huxley — Chapéu Mexicano contos. Aldous Huxley — Moksha. Aldous Huxley — O Macaco e a Essência. Aldous Huxley — Os Demonios de Loudun.

Aldous Huxley — Sem Olhos em Gaza. André Vianco — A Casa. André Vianco — O Senhor da Chuva. André Vianco — O Vampiro-Rei — vol 1. André Vianco — O Vampiro-Rei — vol 2. André Vianco — Sementes no Gelo. André Vianco — Sétimo. Anne Rice — Crônicas Vampirescas — vol 5 — Memnoch. Anne Rice — O Servo dos Ossos. Antologia Poética — Vinicius De Moraes. Aos Vinte Anos — Aluísio Azevedo. Aristoteles — Arte potica.

Arquivo X Quando a Noite Cai. Arquivo X Terrivel Simetria. Arquivo X Assassino Imortal. Arquivo X Fraude. Arquivo X A Besta Humana. Arquivo X Sangue. Arquivo X O Raio da Morte. Arquivo X O Ser do Espaco. Arquivo X Guerra das baratas.

Mais de 1000 Livros (ebooks) para download grátis

Arthur C. Clarke — Odisséia no Espaço. Clarke — A Sonda do Tempo. Clarke — As Fontes do Paraíso. Clarke — Encontro com Rama. Clarke — O Fim da Infância. Clarke — O Outro Lado do Céu. Clarke — O Vento Solar. As Cartas de Amabed — Voltaire. Brisingr Cai o Pano Curtain — Agatha Christie. Caim — José Saramago. Cândido, ou O Otimismo — Voltaire. Virei e dei de cara com o estilingue de Hassan. Na lingüeta, uma pedra do tamanho de uma noz. Hassan estava mirando bem no meio do rosto de Assef. Assef cerrou os dentes.

Assef sorriu. Hassan deu de ombros. E vi que estava com medo. Com muito medo mesmo. A boca de Assef se retorceu. Wali e Kamal olhavam aquele confronto com uma espécie de fascínio. Alguém tinha desafiado o seu deus. Ele estava sendo humilhado.

E, o que era pior, esse alguém era um hazara franzino. Assef olhava para a pedra e para Hassan. Observava o rosto do menino atentamente. O que viu ali deve tê-lo convencido da seriedade das suas intenções, pois baixou o punho. Algum dia vou fazer você me enfrentar e vai ser só entre nós dois. Seus discípulos o seguiram. Sua boca se contorceu fazendo algo que, supostamente, pretendia ser um sorriso tranqüilizador.

Temerosos, nenhum de nós disse praticamente nada no caminho até em casa, pois podíamos jurar que Assef e seus amigos estariam emboscados em cada esquina. Falava-se em direitos das mulheres e moderna tecnologia. Todos se abraçavam, se beijavam e se cumprimentavam dizendo "Eid Mubarak". Feliz Eid. As crianças abriam os seus presentes e brincavam com ovos cozidos e tingidos. Hassan e eu nos entreolhamos sorrindo. Tínhamos passado o dia inteiro esperando por aquele chamado. Você sabe?

E os seus olhos estavam brilhando. Ali deu de ombros. Talvez um revólver novo? Como o filho, Ali era incapaz de mentir. E, todo ano, os seus olhos o traíam e conseguíamos tirar dele todas as informações. Desta vez, porém, parecia estar dizendo a verdade. Houve uma época em que perguntava o que ele queria, mas desistiu de fazer isso porque Hassan era sempre modesto demais para sugerir um presente de verdade.

Assim, baba acabava sempre escolhendo ele mesmo alguma coisa. No ano passado, surpreendeu Hassan com um chapéu de cowboy, igualzinho ao que Clint Eastwood usava em O bom, o mau e o feio — que tinha substituído Sete homens e um destino como nosso western favorito.

Tiramos as luvas e as botas cheias de neve na porta da frente. Hassan e eu nos entreolhamos espantadíssimos. Nenhuma sacola. Nenhum brinquedo. Kumar — disse ele. Ele falava farsi com um leve e ondulante sotaque hindi. Fez um aceno com a cabeça, mas os seus olhos procuravam o pai às suas costas. Baba percebeu o olhar desconfiado — e desconcertado — de Hassan. Kumar, de Nova Delhi.

Hassan abanou a cabeça. Olhou para mim pedindo socorro, mas dei de ombros. O seu rosto estava impassível como sempre, embora houvesse um quê de seriedade nos seus olhos.

Kumar —, o meu trabalho é consertar coisas no corpo das pessoas. Às vezes no rosto delas. Os seus olhos foram do dr. Kumar para baba e, depois, para Ali. Mas este é um presente que vai ficar para sempre. Kumar sorrindo gentilmente. Na verdade, vou lhe dar um remédio e você nem vai se lembrar de nada. E retribuiu o sorriso aliviado. Mas nem tanto Por que baba tinha esperado eu fazer dez anos para mandar me circuncidarem é uma coisa que nunca consegui entender, e que nunca vou perdoar.

Adoraria ter também algum tipo de cicatriz que atraísse a simpatia de baba. A cirurgia foi um sucesso. Ficamos todos um pouco chocados da primeira vez que removeram os curativos; no entanto, continuamos sorrindo, obedecendo às instruções do dr.

Achei que ele ia gritar horrorizado quando a enfermeira lhe deu o espelho. Cheguei o ouvido bem perto da sua boca. Ele sussurrou de novo. Estava sorrindo. O inchaço foi diminuindo e, com o tempo, a ferida cicatrizou. No inverno seguinte, era apenas uma leve cicatriz. O que é bastante irônico. Porque foi justamente nesse inverno que Hassan parou de sorrir. Enfio um punhado de neve na boca, fico ouvindo aquele silêncio abafado que só é rompido pelos grasnidos dos corvos. Desço os degraus, descalço, e chamo Hassan para vir ver também.

E pipas, é claro. Soltar pipas. Lembro de um menino, Ahmad, que morava do outro lado da rua. Seu pai era uma espécie de médico, acho eu. Puxava o cobertor até o queixo e ficava olhando as colinas cobertas de neve que se viam pela janela. Ficava olhando para elas até pegar no sono outra vez. Adorava o inverno em Cabul. Adorava por causa do suave tamborilar na minha janela à noite, quando estava nevando; por causa do barulhinho da neve fresca debaixo das minhas galochas pretas; do calor do fogareiro de ferro fundido enquanto o vento assobiava pelos quintais e pelas ruas.

Mas principalmente porque, quando as arvores ficavam congeladas e a neve recobria as estradas, o gelo entre mim e baba diminuía um pouco. Rolava na cama, fazia animais de sombra na parede, chegava até a ir sentar na varanda no escuro enrolado em um cobertor. Eu me sentia como um soldado tentando dormir na trincheira na véspera de uma batalha importante. Em Cabul, empinar pipas era um pouco como ir para a guerra.

Como em toda guerra, você precisa se preparar para uma batalha. Durante algum tempo, Hassan e eu fizemos as nossas próprias pipas. E, é claro, tínhamos que fazer também a nossa própria linha, ou tar. Quando a neve derretia e começavam a cair as chuvas da primavera, todos os meninos de Cabul ostentavam nos dedos talhos horizontais, traços reveladores de um inverno inteiro passado nessas batalhas.

Lembro de como os meus colegas e eu nos reuníamos para comparar as cicatrizes de guerra no primeiro dia de aula. Uma falha ou outra o nosso projeto sempre acabava determinando o seu destino. Baba comprava para cada um de nós três pipas idênticas e carretéis de linha com cerol.

Se eu mudasse de idéia e resolvesse pedir uma pipa maior e mais extravagante, ele a baixaria, mas baixaria a mesma também para Hassan. Que me deixasse ser o seu favorito. As pessoas se amontoavam pelas calçadas e pelos telhados, torcendo pelos filhos. Todo pipeiro tinha um assistente — no meu caso, Hassan —, que ficava segurando o carretel e controlando a linha.

Hassan e eu nos entreolhamos. E caímos na gargalhada. Cultivam os costumes, mas abominam as regras. Empine a sua pipa. E boa sorte. A brincadeira começava mesmo depois que uma pipa era cortada. Uma vez, um garoto da vizinhança subiu em um pinheiro para apanhar uma pipa. O galho quebrou com o seu peso e ele caiu de mais de dez metros de altura. Quebrou a espinha e nunca mais voltou a andar. Mas caiu segurando a pipa. É o costume. Era como um troféu, algo a ser posto em um lugar de destaque e exibido para as visitas.

Procuravam se posicionar de jeito a estarem prontos para a largada. Pescoços espichados. Olhos apertados. Surgiam as brigas. Mas Hassan foi de longe o melhor que jamais vi. Estamos indo para o lado errado!

Cheguei na esquina e vi Hassan, que continuava correndo, de cabeça baixa, sem nem mesmo olhar para o céu, com as costas da camisa encharcadas de suor. Quando me levantei, avistei Hassan que desaparecia dobrando uma outra esquina. Hassan trincou uma amora.

Eu mal podia respirar, e ele nem parecia cansado.

Ele se virou para mim. Algumas gotinhas de suor escorriam de sua cabeça raspada. De repente, resolvi implicar com ele. Você faria isso? Ele me lançou um olhar desconcertado. Mas havia algo de fascinante, embora de um jeito doentio, em implicar com Hassan.

Era um pouco como brincar de torturar insetos. Só que, agora, ele era a formiga e eu é que estava segurando a lupa. Ele ficou me encarando por um bom momento. Simplesmente Hassan. Baixei os olhos. Foi aí que descobri como é difícil olhar diretamente nos olhos das pessoas como Hassan, essas pessoas que dizem sinceramente o que pensam.

E, com isso, Hassan me propôs um pequeno teste.

Dei um sorriso forçado. Ele também sorriu. Levantou-se e deu uns poucos passos para a esquerda. Ouvi correria, gritos, um monte de outros caçadores que se aproximavam. Mas estavam perdendo seu tempo. Porque Hassan ficou parado ali, de braços abertos, sorrindo, à espera da pipa.

Ali tinha servido o jantar mais cedo — batatas e couve-flor ao curry com arroz — e tinha ido se deitar juntamente com Hassan. Baba estava engordando o cachimbo, como dizia, e eu lhe pedi que me contasse aquela história sobre o inverno em que um bando de lobos desceu das montanhas de Herat, obrigando as pessoas a ficarem trancadas em casa por uma semana.

O que acha? Fiquei sem saber o que pensar. Ou o que dizer. Eu era bom empinando pipas. Na verdade, era muito bom Umas poucas vezes estive bem perto de ganhar o campeonato de inverno — certa feita, fiquei entre os três finalistas.

Ele estava acostumado a vencer, vencer em tudo o que resolvesse fazer. E imagine só se eu ganhasse Baba ficou fumando seu cachimbo e falando. Fingi estar ouvindo. Eu ia ganhar.

O Silêncio Das Montanhas Ebook Livro Digital Epub no Mercado Livre Brasil

Mostrar a ele, de uma vez por todas, que o seu filho tinha valor. Fiquei sonhando: imaginei conversas e risos durante o jantar, em vez daquele silêncio só rompido pelo barulho dos talheres e algum grunhido ocasional. Vi nós dois saindo de carro, na sexta-feira, rumo a Paghman, com uma parada no lago Ghargha para comer truta frita com batatas. Talvez até lesse uma das minhas histórias. Seria capaz de escrever uma centena delas se achasse que ele leria uma que fosse Talvez ele me chamasse de Amir jan, como Rahim Khan fazia.

Baba estava falando de quando cortou quatorze pipas em um dia só. Mais cedo, pedi a Ali que preparasse o kursi para nós — basicamente um aquecedor elétrico instalado sob uma mesa baixa recoberta com um edredom bem gros- so. Em volta da mesa, ele pôs colchões e almofadas e, desse jeito, umas vinte pessoas poderiam se sentar e enfiar as pernas ali embaixo. Comprei o dez de ouros de Hassan e joguei para ele dois valetes e um seis.

Ao lado, no escritório, baba e Rahim Khan estavam tendo uma conversa de negócios com dois outros homens, um dos quais reconheci como sendo o pai de Assef.

Hassan deixou o seis e apanhou os valetes. Suponho que fosse porque, como eles, a maioria dos iranianos era xiita. Uma para você, outra para mim. Ouvi-lo dizer isso me deixou triste. Triste por ele ser o que era, por morar onde morava. Pelo fato de aceitar que ia crescer naquela cabana do quintal, exatamente como tinha acontecido com seu pai. Hassan pegou as damas.

Isso era um dos problemas com Hassan. Ganhei, mas, enquanto embaralhava as cartas para uma outra partida, tive a clara suspeita de que Hassan tinha me deixado ganhar. Fazia sol, a temperatura estava ótima e o lago estava límpido como um espelho. Mas ninguém estava nadando porque andavam dizendo que um monstro tinha vindo para o lago. De repente, você descalçou os sapatos, Amir agha, e tirou a camisa. Mergulhei também e saímos os dois nadando. Seja como for, todo mundo começou a gritar: "Saiam daí!

Saiam daí! Pareciam formiguinhas, mas podíamos ouvir os seus aplausos. Agora estavam vendo. Ele passou geléia no meu naan e botou em um prato. Tinha esperanças que você me explicasse.

Meu pescoço e minhas costas estavam parecendo molas bem enroladas, e meus olhos pinicavam. De todo modo, tinha sido uma peste com Hassan. Hassan ia compreender que eu estava nervoso. Ele sempre compreendia o que acontecia comigo. A neve recobria todos os telhados e pesava sobre os ramos das amoreiras mirradas que margeavam a nossa rua. Durante a noite, tinha se infiltrado em cada fenda ou vala. Nunca tinha visto tanta gente em nossa rua. Das ruas adjacentes, podíamos ouvir gente rindo e conversando.

No palco ou nas festas, ele desprezava a atitude austera e quase soturna dos cantores de antigamente e chegava mesmo a sorrir enquanto cantava — às vezes até para as mulheres. Baba acenou. Ele estava usando botas de neve de borracha preta, um chapan verde brilhante por cima de uma suéter bem grossa e uma calça de veludo cotelê desbotada. De repente, me deu vontade de desistir. Pegar as minhas coisas e ir embora para casa.

O que é que estava pensando? Sentia o seu olhar no meu corpo como a gente sente o calor do sol ardente. Ia ser um fracasso estrondoso, mesmo para alguém como eu Passei o peso do corpo de um pé para o outro.

Talvez seja melhor voltar. E era eu que ia ao colégio. Era eu que sabia ler e escrever. Era eu o inteligente. Era um tanto perturbador, mas também um pouco reconfortante ter alguém que sempre sabia do que você estava precisando. Ele fechou os olhos e fez que sim com a cabeça. Olhei para aquelas crianças correndo pela rua, atirando bolas de neve.

Ocorreu-me que talvez Hassan tivesse inventado aquele sonho. Seria possível? Talvez devesse tirar a camisa e nadar no lago. Ergueu a nossa pipa vermelha com as bordas amarelas e que trazia, logo abaixo do ponto em que as varetas se cruzam, a marca inconfundível da assinatura de Saifo. Ficou segurando a pipa bem acima da cabeça, como um atleta olímpico que exibe a medalha de ouro.

Dei dois puxões na corda, o sinal combinado entre nós, e ele soltou a pipa. Respirei fundo e comecei a puxar a corda. Em um minuto, a minha pipa estava subindo vertiginosamente pelos ares. Hassan aplaudiu, assobiou, e correu de volta para perto de mim. Segurei firme na linha, e lhe entreguei o carretel que ele girou bem depressa para enrolar novamente a parte que tinha ficado solta.

Havia pelo menos umas vinte e tantas pipas no céu, como tubarões de papel perambulando à cata de uma presa. Um vento frio soprava em meu cabelo.

Era o vento perfeito para empinar pipas, apenas forte o bastante para dar a elas alguma altitude e facilitar os movimentos. Era possível ouvi-los gritando e correndo pelas ruas. Alguém anunciou que tinha começado uma briga dois quarteirões adiante. É isso que acontece quando a gente empina pipas: nossa cabeça sai voando junto com elas. Agora, caíam pipas por todo lado e a minha ainda estava no ar. A minha ainda estava no ar. Uma pipa vermelha estava se aproximando da minha.

Eu a notei bem na hora. Embolei um pouco com ela, mas acabei levando a melhor quando o outro empinador ficou impaciente e tentou me cortar por baixo. Por todo canto, viam-se aqueles caçadores que voltavam triunfantes, erguendo bem alto as pipas que tinham capturado, exibindo-as para os pais e os amigos. Todos sabiam, porém, que o melhor ainda estava por vir.

O maior dos prêmios ainda estava voando. Derrubei uma pipa amarela brilhante, com uma rabiola branca toda enrola- dinha.

Mandei Hassan segurar a linha e, depois de chupar o sangue, esfreguei bem o dedo na calça jeans. Consegui estar entre as doze finalistas. As sombras começaram a aumentar. Os espectadores que estavam nos telhados se agasalharam ainda mais, com cachecóis e casacos bem grossos. As minhas pernas doíam e o meu pescoço es- tava duro. Hassan estalou a língua e esticou o queixo para a frente. A azul cortou uma outra pipa grande e roxa, e, majestosa, deu duas voltas no ar. Dez minutos depois, derrubou mais duas, fazendo milhares de garotos saírem desabalados ao seu encalço.

Meia hora depois, só restavam quatro pipas. E eu ainda estava voando. Parecia praticamente impossível fazer algum movimento errado. Era como se todas as rajadas de vento soprassem a meu favor. Estava embriagado. Precisava me concentrar, ficar ligado no que estava fazendo. O da pipa azul.

O cheiro de mantu no vapor e de pakora frito se espalhava pelo ar, vindo dos telhados e das portas abertas. Tudo o que ouvia, porém — tudo o que me permitia ouvir —, era o pulsar do sangue na minha cabeça. Tudo o que via era a pipa azul. Tinha agüentado muito, chegado longe demais.

E, de repente, em um piscar de olhos, a esperança virou certeza. Acabou acontecendo mais cedo do que eu imaginava. Uma rajada de vento fez a minha pipa subir e fiquei em vantagem. Com isso, a minha pipa fez um looping e ficou acima da azul. A pipa azul sabia que estava em apuros. O coro "Derrube! Fechei os olhos e afrouxei a pegada na linha. Cortei os dedos novamente quando o vento arrastou a minha pipa. Hassan estava gritando e tinha passado o braço pelo meu pescoço. Bravo, Amir agha! Abri os olhos e o que vi foi a pipa azul rodopiando loucamente como um pneu que se solta de um carro em alta velocidade.

Casaco de couro preto, cachecol vermelho, calça jeans desbotada. O vento despenteava os seus cabelos castanho-claros. Ele ergueu os olhos para mim e sorrimos um para o outro. Abracei Hassan com o braço que estava livre e começamos a pular, ambos rindo, ambos chorando.

Você ganhou! Nós ganhamos! Me aprontar. Ficar esperando por baba. De volta à minha velha vida. Estava de pé na mureta, agitando ambos os braços. Gritando e aplaudindo. Agora, vou apanhar aquela pipa azul para você — acrescentou. Parou e se virou. Comecei a recolher a minha pipa e as pessoas vinham correndo para me dar parabéns.

Cumprimentei a todos, agradeci. As crianças menores me olhavam com um brilho de respeito nos olhos. Eu era um herói. Fui puxando a linha, retribuindo os sorrisos de todos, mas só pensava mesmo naquela pipa azul. Enrolei no carretel a linha solta que estava amontoada junto dos meus pés, cumprimentei mais algumas pessoas e corri para casa.

Voltei correndo para a rua. Nem perguntei a Ali onde estava meu pai. Todas as cabeças iam se virar e os olhos ficariam pregados em mim. Rostam e Sohrab se avaliando mutuamente. E depois? Felizes para sempre, é claro. O que mais poderia ser? As ruas de Wazir Akbar Khan eram numeradas e haviam sido traçadas formando ângulos retos, como se fosse uma grade. Corri para cima e para baixo, passando por todas as ruas, à procura de Hassan.

Em todo canto, as pessoas estavam atarefadas dobrando cadeiras guardando comida e arrumando as coisas depois de um longo dia de festa. Algumas delas, ainda sentadas nos telhados, gritavam para me dar parabéns. Quatro ruas ao sul da nossa, vi Omar, filho de um engenheiro amigo de baba. Omar era um sujeito bem legal. Tínhamos sido colegas na terceira série e, certa vez, ele me deu uma caneta-tinteiro, daquele tipo que a gente recarrega com um cartucho. Você viu Hassan?

Fiz que sim com a cabeça. Omar a pegou, fazendo-a quicar para cima e para baixo. Quero dizer, com aqueles olhinhos apertados, como é que pode ver alguma coisa? Omar o ignorou. Sem se virar, Omar apontou para o sudoeste com o polegar. No entanto, hoje à noite ele ia deixar de fazer as suas orações, e por minha causa. O bazaar estava ficando vazio bem depressa, com os mercadores encerrando os negócios do dia. Parei em uma tenda que vendia frutas secas, descrevi Hassan para um velho mercador que estava pondo caixotes de pinhões e uvas passas no lombo de uma mula e usava um turbante azul-claro.

Ele parou o que fazia para me olhar por um bom momento e só depois me respondeu. Ele me olhou dos pés à cabeça. O velho ergueu as sobrancelhas grisalhas. Ele apoiou o braço no lombo da mula e apontou para o sul. Uma pipa azul. Grande Hassan. O bom, velho e leal Hassan. Cumpriu a promessa e pegou aquela pipa para mim.

Todos vestidos assim como você. Talvez os olhos do velho mercador o houvessem traído. Acontece que ele tinha visto a pipa azul. Metia a cabeça em cada ruela, em cada tenda. Nem sinal de Hassan. Cheguei a uma rua deserta e lamacenta, perpendicular ao fim da avenida que passava bem no meio do bazaar. Dobrei a esquina da ruela esburacada e fui seguindo o som das vozes.

O Caçador De Pipas – Khaled Hosseini

De um dos lados da estreita passagem havia um barranco cheio de neve, onde, na primavera, talvez corresse um riacho. Voltei a ouvir aquelas vozes, agora mais altas, vindo de um desses corredores. Fui me esgueirando até a entrada. No final do beco sem saída, vi Hassan em uma pose desafiadora: punhos cerrados, pernas ligeiramente afastadas. Wali estava parado de um lado, Kamal, do outro, e, no meio, Assef.

Senti o corpo todo se contrair e alguma coisa gelada escorreu pelas minhas costas. Assef parecia relaxado, confiante. Os dois outros, nervosos, trocavam constantemente o pé de apoio, olhando ora para Assef, ora para Hassan, como se houvessem acuado algum tipo de animal selvagem que só Assef fosse capaz de domar.

Assef, o Caolho. Realmente brilhante. Exalei bem devagarinho, sem fazer barulho. Estava me sentindo paralisado. Estava de costas para mim, mas eu podia apostar que estava rindo. O que acham disso, rapazes? Tentou falar no mesmo tom de deboche, mas a sua voz saiu um tanto trêmula. Mesmo do lugar em que estava, pude ver o medo se instalando nos olhos de Hassan, mas ele abanou a cabeça.

Essa pipa é dele. Leal como um cachorro — disse Assef. O riso de Kamal soou estridente, nervoso. Eu lhe digo por quê, hazara. Alcorao — O livro sagrado do Isla — Autoria Desconhecida. Alice no Pais das Maravilhas — Lewis Carroll. Aliviando a Bagagem — Max Lucado. Aliviando a Bagagem para as Maes — Max Lucado.

BAIXAR O PIPAS CACADOR DE EPUB

Amanhecer — Stephenie Meyer. Americanas — Machado de Assis. Angustia — Stephen King. Anjos e Demonios — Dan Brown. Antes de Morrer — Jenny Downham. As 48 leis do poder — Robert Greene. As Aventuras de Tom Bombadil — J. R Tolkien. As Cariocas — Sergio Porto.

As Casas de Armas — A.

Van Vogt. As Criancas do Milharal — Stephen King. As Crônicas de Gelo e Fogo Livro 5. Martin PT-PT. As delicias da fofoca — Cecily Von Ziegesar. As Duas Torres — J. As Exterminadoras — Edmond Hamilton. As Fontes do Paraiso — Arthur C. As mil e uma noites — Mansour Chalita. As Miniaturas do Terror — Tabitha King. As Valkirias — Paulo Coelho. Assassins creed — Oliver Bowden. Assombrado — Meg Cabot. Astrologia do Sexo — Megan Skinner. Ate Mais, e Obrigado Pelos Peixes! Atlantis — David Gibbins.

Auto da Compadecida — Ariano Suassuna. Azincourt — Bernard Cornwell. Band of Brothers — Stephen E. Bau de Espantos — Mario Quintana. Beijo Sombrio — Richelle Mead. Belas Maldicoes — Neil Gaiman. Bellini e a Esfinge — Tony Bellotto. Biblia da Seducao — Alex Hilgert.

Biografia — Machado de Assis. Boca do Inferno — Ricardo Araujo Pereira. Brevida — Juliana Amato. Brida — Paulo Coelho. Brisingr — Christopher Paolini. Bucolica — A. Bussola de Ouro — Phillip Pullman. Capitaes de Areia — Jorge Amado. Capitaes Do Brasil — Eduardo Bueno. Cartas na Mesa — Agatha Christie. Casa Velha — Machado de Assis. Casada e Viuva — Machado de Assis.

Cerco a Macindaw — John Flanagan. Cibercultura — Pierre Levy. Cinco Minutos — Jose de Alencar. Clube da Luta — Chuck Palahniuk. Clube dos Anjos — Luis Fernando Verissimo. Martin Martin H Greenberg. Comedias para se ler na escola — Luis Fernando Verissimo. Comer, Rezar e Amar — Elizabeth Gilbert.

Como Trabalhar para um Idiota — John Hoover. Como-se-dar-bem com-as Mulheres. Condessa de Barral — Mary Del Priore. Contos — Machado de Assis. Contos Fluminenses — Machado de Assis. Contos Inacabados — J. Coraline — Neil Gaiman. Corrida Infernal — Marcos Rey. Crepusculo — Meg Cabot. Crepusculo — Stephenie Meyer. Crisalidas — Machado de Assis. Crise, estado e economia brasileira — by Kyoga. Crise, estado e economia brasileira — Jose Roberto Afonso. Criticas Teatrais — Machado de Assis. Cronicas de Artur — Excalibur — Bernard Cornwell.

Pedro I — Isabel Lustosa. Da lavratura do auto de infracao de transito ao recurso para a ultima instancia — Desconhecido a. Da Terra a Lua — Julio Verne. Dança Com Lobos — Michael Blake. Day Watch — Sergei Lukyanenko. Depois do Funeral — Agatha Christie. Derrubando Golias — Max Lucado. Deus, um Delirio.

Deus, um Delirio — Richard Dawkins. Diario de John Winchester — Alex Irvine. Diarios de Vampiro — Reuniao Sombria — L. J Smith.

O Silêncio das Montanhas – Khaled Hosseini

Diarios do Vampiro — A Furia — L. Diarios do Vampiro — O Anoitecer — L. Diarios do Vampiro — O Confronto — L. Diarios do Vampiro — O Despertar — L. Dicionario Juridico Brasileiro — Washington dos Santos. Direito do Trabalho — Mariza Vestcon. Do jeito que eu gosto — Cecily Von Ziegesar. Dom Casmurro — Machado de Assis. Dracula — Bram Stoker. E tudo tao simples — Danuza Leao. E voce que eu quero — Cecily Von Ziegesar. Eclipse — Stephenie Meyer.

Eldest — Christopher Paolini. Ele escolheu os cravos — Max Lucado. Elite da Tropa. Emma — Jane Austen. Empreendedorismo — Idalberto Chiavenato. Encontro com Rama — Arthur C.

Encontro na Provenca — Elizabeth Adler. Era no Tempo do Rei — Ruy Castro. Eragon — Christopher Paolini. Esau e Jaco — Machado de Assis. Espumas Flutuantes — Castro Alves. Essas Estrelas Sao Nossas! Estudos Sobre a Histeria — Freud Sigmund. Eu mereco! Eu nao mentiria para voce — Cecily Von Ziegesar. Eu quero tudo! Eu sei o que voce esta pensando — John Verdon. Eu, Robo — Isaac Asimov. Factotum — Charles Bukowski. Fala serio, amor! Fala serio, mae!

Fala serio, professor! Falenas — Machado de Assis. Fallen — Lauren Kate. Falsa Submissao — Laura Reese. Fazenda Modelo — Chico Buarque de Holanda. Feios — Scott Westerfeld. Feiticeiro do Norte — John Flanagan. Festa no covil — Juan Pablo Villalobos. Filhos brilhantes, alunos fascinantes — Augusto Cury.

Filhos do Eden — Eduardo Spohr. Folha de Carvalho — John Flanagan. Fortaleza Digital — Dan Brown. Freakonomics — Steven D. Garra de Campeao — Marcos Rey. Gincana da Morte — Marcos Rey. Gonzos e Parafusos — Paula Parisot. Goosebumps — O Parque do Terror — R. Guia de Sobrevivencia a Zumbis — Max Brooks. Guia Dos Curiosos — Marcelo Duarte.

Guia para a Chave de Salomao — Greg Taylor. Haiti Depois do Inferno. Halt em Perigo — John Flanagan. Hannibal [Thomas Harris]. Harry Potter e a Pedra Filosofal. Helena — Machado de Assis. Historia das Guerras — Demetrio Magnoli. Historias da meia — Machado de Assis.

Historias de Cronopios e de Famas — Julio Cortazar. Historias sem data — Machado de Assis. Hitler Ganhou a Guerra — Walter Graziano. Holocausto do Vaticano [Avro Manhattan]. Honoraveis Bandidos — Palmerio Doria. Horror em Amityville — Jay Anson. Ideias do Canario — Machado de Assis.

Identidade roubada — Chevy Stevens. Infancia — Graciliano Ramos. Insonia — Stephen King. Instinto Selvagem — Richard Osborne. Inteligencia Multifocal — Augusto Cury. Interligados — Gena Showalter. Jack London — White Fang. Julio Verne — Viagem ao Centro da Terra.

EPUB O CACADOR BAIXAR PIPAS DE

Kull — Exilio da Atlantida — Robert E. Labirinto — Kate Mosse. Laboratorio de Marketing — Max Gehringer. Lagrimas do Dragao — Dean R. Leite Derramado — Chico Buarque de Holanda. Living Dead in Dallas — Charlaine Harris. Livro Negro do Comunismo — Stephane Courtois.

Lua Nova — Stephenie Meyer. Manual do Xavequeiro — Fabiano Rampazzo. O Príncipe. Marcha Funebre — Machado de Assis. Mare de Verao — Charles Sheffield. Mare Vermelha — Carlos Rocha. Melancia — Marian Keyes. Memorial de Aires — Machado de Assis. Memorias de um Vampiro — Kathy Love. Mensageiros do Amanhecer — Barbara Marciniak. Mestre Gil de Ham — J. Mil dias em Veneza — Marlena de Blasi. Minutos de Sabedoria — Carlos Torres Pastorino. Misto-Quente — Charles Bukowski. Morangos Mofados — Caio Fernando Abreu.

Na Fe e no Amor — Marcio Valadao. Na Natureza Selvagem — Jon Krakauer. Nao me esqueca — Cecily Von Ziegesar. Nas Garras da Graça — Max Lucado. Naufragos, Traficantes e Degredados — Eduardo Bueno. Neuromancer — William Gibson. Neve — Orhan Pamuk. Night Watch — Sergei Lukyanenko. Ninguem faz melhor — Cecily Von Ziegesar. Noite de Almirante — Machado de Assis.